Colunistas George Furlan Política e Sociedade

FORA TEMER E O CONGRESSO NACIONAL!!!

Ou: Por que devemos nos manifestar!?!
No último dia 3 de setembro, sábado, nós: a juventude que não foge da raia, estudantes, trabalhadores, os mais indignados,  nos reunimos na Praça Afonso Pena (praça central de São José dos Campos) no primeiro ato: Fora Temer!, que conclui-se vitorioso, posto que ao final o número de manifestantes foi o dobro do inicial, além do momento culminante, quando passamos pelo boulevard (calçadão) e a maioria dos transeuntes e funcionários uniram-se na mesma voz: Fora Temer!Fora Temer!Fora Temer!Fora Temer!
Inacreditavelmente, há quem acredite que a ditadura militar foi coisa boa, quem ache Jair Bolssonário um mito…  Isso não é opinião, é falta de esclarecimento histórico e político. Há quem diga “é tudo culpa do povo!” ou “brasileiro não sabe votar!”, o que também não é opinião, é falta de esclarecimento histórico e político. Partindo da lógica binária que rege o senso comum, podemos nos dividir em classe trabalhadora e classe burguesa, sendo os assalariados pertencentes a classe trabalhadora e os detentores dos meios de produção e controladores da economia, a classe burguesa. Daí, podemos extrair que se o assalariado, por mais que ganhe quinze mil por mês, tenha uma casa aqui, outra acolá, carro importado, empregada e bulldog, este coitado não passa dum pequeno burguês, pertencente a classe trabalhadora, porém com vaidades burguesas. Então que a classe trabalhadora, não tem acesso a muitas coisas que a classe burguesa tem (coisas simples: saneamento, saúde, cultura e ensino… por exemplo), outra: a maioria acaba servindo de massa de manobra, porque a burguesia não só detém os meios de produção como os de comunicação, de modo que são poucas plataformas que transmitem os fatos em sua amplitude. E porque eles detém os meios de comunicação impõe sobre a sociedade padrões de consumo inatingíveis, e não só, mas principalmente idéias, através de mensagens sutis (ou escancaradas) e repetitivas em novelas, programas, desenhos, jornais e propagandas. O que é um absurdo. É ou não é!?! Deste modo não podemos dizer que “o povo é burro”, no entanto, podemos afirmar que a realidade é cruel!
Há quem acredite, que o “Fora Temer!” é sinônimo de “Fica Dilma!”, ou ainda que é uma briga de “coxinhas versus petralhas”, o que demonstra que significativa fatia da classe trabalhadora ainda não se deu conta de que foi um golpe contra a democracia, o que abre um precedente medonho em nosso histórico, que é: o presidente eleito que não tiver maioria (dois terços) no Congresso Nacional, corre o risco da ingovernabilidade, e que não (NÃO! NÃO! E NÃO!) podemos deixar é o Temer no poder, porque devido a ELE ter  maioria do Congresso, possibilita-o, e a sua corja, fazer MISÉRIA COM NOSSA CONSTITUIÇÃO. O que ele chama de reajuste fiscal é um retrocesso previdenciário e dos direitos trabalhistas, o que ele chama de investidores são, em verdade, exploradores de mão de obra barata.
O que a história nos ensina, desde o Império Romano, é que um governo estabelecido a partir de um golpe, é frágil e insustentável e quem sempre paga o pato é o mais fraco. A Democracia (que não significa vontade da maioria e sim proteção às minorias), ensinada e teorizada pelos gregos é coisa muito boa, não se pode dizer que não deu certo após mais de dois mil anos de existência, no entanto carecemos, cá em Pindorama, duma democracia participativa e não representativa. Se você acha que a coisa vai mudar contigo aí sentado na poltrona… Estais enganado! Precisa-se, mais do que nunca, de pressão popular. Portanto Trabalhadores e estudantes, de todo Brasil, uni-vos!
Fique atento! Próximo dia 17/9, em SJC: Festival Fora Temer!

Post Comment