Alexsander Prates Filosofia Literatura Poesia

Na Sombra da Dúvida

Na Sombra da Dúvida

No trâmite mental da dúvida… Ela te chama…

Pelo telefone… Diz que precisam conversar…

A angústia, como protagonista maquiavélica, enche sua cabeça de pensamentos insanos…

Cheios de maldade… Cheios de tristeza…

————————————————————————————–

Chega a hora de encontrá-la… Até esse momento… Como perdura a demora…

No encontro… Um olhar… Daqueles que agem como se o tempo parasse…

Só para contemplar esse momento… Único, transitivo, duvidoso…

—————————————————————————————

Em meio ao sanar das dúvidas… A certeza, concreta como uma muralha, que ela não vai embora…

Nesse momento… Uma respiração mais profunda… Um olhar de desejo…

Ela se vira, senta-se ao seu lado, onde mantém olhares cruzados…

—————————————————————————————

O beijo… Que a faz perder o fôlego… No mais doce do contato…

E sua respiração… Leve, mas já prolongada, mostra que quer um contato mais lascivo…

Um toque, um carinho, um calor…

No ardor profundo da cumplicidade… mãos ágeis deslizam por uma pele macia…

—————————————————————————————

Ela treme… Te aperta… Crava suas garras como se já estivesse em êxtase…

Te mostra que ali existe uma mulher… para ser feita mulher…

O calor se excede… Os vidros embaçam… E você à toca… no mais leve dos toques…

Para que sinta como nunca sentiu… Para que ame como nunca amou…

—————————————————————————————

Sua respiração se transforma em tornado… Seu corpo um vulcão… Sem controle…

Os toques se tornam mais quentes… O controle do desejo é pérfido…

Seu êxtase prolongado é como um ataque… Ela se contorce… Geme… Murmura…

Te aperta… Afoga um grito de prazer que, se solto, ecoaria à imensidão do universo…

—————————————————————————————–

Lábios que se entrelaçam… Brincam… Dançam ao som da luxúria…

O suor se mistura… Escorre pelas partes… Banha o corpo…

Por entre seus seios… Gotículas que brilham… Exalam satisfação…

Tudo ao simples toque de mãos ágeis…

—————————————————————————————–

Dedos que deslizam… Como se tocasse no mais belo dos pianos… A canção dos anjos…

E assim… a dúvida se desfez…

Post Comment