Arte Literatura

Roubar e Não Poder Carregar

Por Helder Pereira

Chega a ser bizarro pensar em algumas coisas que se ouve quando pequeno. Lembro-me de que ainda muito novo ouvi, repetidas vezes, a frase “Vergonha é roubar e não poder carregar”. “Mas peraí!, quer dizer que só é vergonha se você roubar mas não puder carregar?!” bom, eu sempre pensei algo assim, mas vamos devagar, a coisa não é BEM assim. Se tem uma coisa que aprendi, é a mudar significados de ditos populares. Por outro lado, algo que tenho dificuldades em aprender é não assumir responsabilidades com a qual eu não possa lidar. E esse texto é sobre isso mesmo: assumir responsabilidades corretas.

Voltando à linha de “frases que se ouve”, já um pouco maior, entre amigos de adolescência, aprendi uma frase que sempre me pareceu sensata: “Não tenha vícios que não possa sustentar”. Claro que naquele tempo (e nem faz tanto tempo) eu levava isso pro lado de vícios malignos, mas aos poucos fui entendendo que isso se estende à vícios de todos os tipo: de bebidas, passando por coisas como chocolate, chegando até mesmo em vício por companhia. Estranho, confesso, mas pelos erros de todos, entendemos que não devemos nos ater à nada que não podemos manter, seja vício em chocolates, ou pessoas.

Isso me leva à terceira frase, que atualmente uso pra minha vida: “Não assuma responsabilidades com as quais não possa lidar” e ela significa EXATAMENTE o que diz. Ouvi esta frase em meio a discussões profissionais, é claro, mas ela pode ter bons resultados se aplicada na vida pessoal também.

Não se trata apenas de não marcar compromissos em horário que não se cumprirá, se trata também de lidar com pessoas. Somos, de uma forma ou de outra, responsáveis por aqueles com os quais interagimos, e as pessoas, gostem ou não, sempre acabam esperando (ou precisando) de certos aspectos nossos e é aí que entra nossa responsabilidade: Não cativar pessoas às quais não desejamos dar atenção.
Claro, falando assim pode parecer fácil de se colocar em prática, mas a coisa é complicada e precisamos sempre continuar medindo, afinal, qual o peso que temos na vida das pessoas.

Post Comment