Arte Literatura Poesia Ricola de Paula

Bulas de coisa nenhuma

Saudade

Encavala as sombras
Nas quebras do vento

Ferra
Dura
Maldita angústia
Aquece
Dora

Veloz, traspassa
A insana penumbra

Espreguiçar

O gozo, o êxtase
O santo gostinho
A tão sonhada
Parada em “Cruz”
Nas paralelas.

Os escolhidos

Que cessem a dança das cabeças
Que cessem o acesso a falsa salvação
Os peixes não estavam na arca

Árido

Estive na cava, recolhendo
Areia doce que findou na ampulheta

 

Ricola de Paula

Post Comment