Arte Cinema Dalto Fidencio

OSCAR 2014 – Vencedores e Daltopiniões


*BEST PICTURE*
*MELHOR FILME*

* Vencedor: 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão)

Também concorriam:

* American Hustle (Trapaça)
* Captain Phillips (Capitão Phillips)
* Dallas Buyers Club (Clube de Compras Dallas)
* Gravity (Gravidade)
* Her (Ela)
* Nebraska
* Philomena
* The Wolf of Wall Street (O Lobo de Wall Street)

Daltopinião: A sublime película que conta a história
real vivida por Solomon Northrup, uma homem negro e
livre, que vivia com esposa e filhos no norte dos
EUA, e que é sequestrado e vendido como um escravo no
sul do país, já havia vencido o Globo de Ouro de
Melhor Filme – Drama deste ano, e com toda a justiça
era o favorito para vencer também o Oscar. E deu a
lógica… com um roteiro “feito para o Oscar”, um
Direção de primeira e atuações viscerais de seus
protagonistas, a vitória não poderia sair das mãos do
filme produzido por Brad Pitt, Dede Gardner, Jeremy
Kleiner, Steve McQueen e Anthony Katagas. Esta foi a
quinta indicação de Pitt (primeira vitória), que já
havia sido nomeado também como produtor por
“MONEYBALL – O Homem que Mudou o Jogo”, (2011), para
Melhor Ator pelo mesmo filme, para Melhor Ator por “O
CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON”, (2008) e para
Melhor Ator Coadjuvante por “12 MACACOS” (1995). Foi
a segunda indicação de Dede Gardner, que já havia
concorrido sem sucesso pela produção de “A Árvore da
Vida” (2011). Foram as primeiras nomeações de Jeremy
Kleiner e Anthony Katagas, já Steve McQueen,
incluindo a nomeação deste ano para Direção por “12
ANOS DE ESCRAVIDÃO”, concorria pela segunda vez.

*DIRECTING*
*MELHOR DIRETOR*

* Vencedor: Alfonso Cuarón, por Gravity (Gravidade)

Também concorriam:

* David O. Russell, por American Hustle (Trapaça)
* Alexander Payne, por Nebraska
* Steve McQueen, por 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão)
* Martin Scorsese, por The Wolf of Wall Street (O
Lobo de Wall Street)

Daltopinião: e o talento do mexicano Alfonso Cuarón
é finalmente reconhecido pela Academia, por seu
impecável trabalho em “GRAVIDADE”. Ele já havia
vencido o Globo de Ouro e vinha como o favorito,
seguido de perto por Steve McQueen. A sensibilidade
com que ele retratou este seu drama espacial, que
alcançou enorme aceitação de crítica e público, o fez
merecedor da vitória. Incluindo as nomeações deste
ano por Montagem e Melhor Filme também por
“GRAVIDADE”, esta foi a sexta nomeação de Cuarón, que
já havia concorrido antes pela Montagem e Roteiro
Adaptado de “FILHOS DA ESPERANÇA” (2006), e pelo
Roteiro Original de “E SUA MÃE TAMBÉM” (2002).

*ACTOR IN A LEADING ROLE*
*MELHOR ATOR*

* Vencedor: Matthew McConaughey, por Dallas Buyers Club (Clube de Compras Dallas)

Também concorriam:

* Christian Bale, por American Hustle (Trapaça)
* Bruce Dern, por Nebraska
* Leonardo DiCaprio, por The Wolf of Wall Street (O Lobo de Wall Street)
* Chiwetel Ejiofor, por 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão)

Daltopinião: esta categoria pecou pela inexplicável
não indicação de Tom Hanks, pelo seu grandioso
trabalho em “CAPITÃO PHILLIPS”… já entre os
indicados, o favorito destacado era mesmo o
surpreendente Matthew McConaughey, pelo seu impecável
trabalho em “CLUBE DE COMPRAS DALLAS”. Ele já havia
vencido o Globo de Ouro de Melhor Ator em Filme
Dramático, e apesar de fortes concorrentes, como
Leonardo DiCaprio e Chiwetel Ejiofor, brilhantes em
suas atuações, é inegável que McConaughey, até então
um ator que nunca havia sido olhado com maior atenção
por Hollywood, mereceu ter sido o grande vencedor, já
em sua primeira indicação.

*ACTRESS IN A LEADING ROLE*
*MELHOR ATRIZ*

* Vencedora: Cate Blanchett, por Blue Jasmine

Também concorriam:

* Amy Adams, por American Hustle (Trapaça)
* Sandra Bullock, por Gravity (Gravidade)
* Judi Dench, por Philomena
* Meryl Streep, por August: Osage County (Álbum de Família)

Daltopinião: todos os trabalhos foram excepcionais,
mas aqui a briga estava mesmo entre Cate Blanchett e
Amy Adams, com Bullock correndo por fora… e a
talentosa australiana saiu vencedora. Uma grande
atriz, dirigida pelo gênio Woody Allen, só podia dar
mesmo em Oscar. Esta foi a sexta vez que Cate
Blanchett concorria ao Oscar, já tendo sido nomeada a
Atriz Principal por: “ELIZABETH: A ERA DE OURO”
(2007), Atriz Coadjuvante por “NÃO ESTOU LÁ” (2007),
Atriz Coadjuvante por “NOTAS SOBRE UM ESCÂNDALO”
(2006), e a Atriz Principal por “ELIZABETH” (1998),
além de ter vencido em 2004 como Atriz Coadjuvante,
por “O AVIADOR”.

*WRITING (ORIGINAL SCREENPLAY)*
*MELHOR ROTEIRO ORIGINAL*

* Vencedor: Her (Ela), por Spike Jonze

Também concorriam:

* American Hustle (Trapaça), por Eric Warren Singer e David O. Russell
* Blue Jasmine, por Woody Allen
* Dallas Buyers Club (Clube de Compras Dallas), por Craig Borten e Melisa Wallack * Nebraska, por Bob Nelson

Daltopinião: numa categoria sem um favorito
destacado, minha torcida era por Woody Allen, mas foi
muito interessante ver o talentoso Spike Jonze sair
vencedor, com um roteiro sui generis que só poderia
mesmo ter saído de sua cabeça. Incluindo as
indicações deste ano para Melhor Canção e Melhor
Filme (ambos por “ELA”), esta foi a quarta nomeação
de Jonze, que já havia concorrido em 1999 pela
Direção de “QUERO SER JOHN MALKOVICH”. Lembrando que
este ano ele já havia vencido também o Globo de Ouro.

*WRITING (ADAPTED SCREENPLAY)*
*MELHOR ROTEIRO ADAPTADO*

* Vencedor: 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão), por John Ridley

Também concorriam:

* Before Midnight (Antes da Meia-Noite), por Richard Linklater, Julie Delpy e Ethan Hawke
* Captain Phillips (Capitão Phillips), por Billy Ray
* Philomena, por Steve Coogan e Jeff Pope
* The Wolf of Wall Street (O Lobo de Wall Street), por Terence Winter

Daltopinião: sem a concorrência direta de Spike
Jonze, que o havia derrotado no Globo de Ouro, aqui o
favorito era mesmo John Ridley, pelo seu incrível
trabalho de adaptação do livro homônimo de Solomon
Northup… vitória mais do que merecida do escritor
norte-americano, já em sua primeira nomeação ao
Oscar.

*ACTOR IN A SUPPORTING ROLE*
*MELHOR ATOR COADJUVANTE*

* Vencedor: Jared Leto, por Dallas Buyers Club (Clube de Compras Dallas)

Também concorriam:

* Barkhad Abdi, por Captain Phillips (Capitão Phillips)
* Bradley Cooper, por American Hustle (Trapaça)
* Michael Fassbender, por 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão)
* Jonah Hill, por The Wolf of Wall Street (O Lobo de Wall Street)

Daltopinião: o favorito era mesmo Jared Leto, por
sua incrível interpretação em “CLUBE DE COMPRAS
DALLAS”, mas minha torcida era pelo surpreendente
somali Barkhad Abdi ou mesmo pelo sempre ótimo
Michael Fassbender, que deu um show de interpretação
em seu filme, mas é inegável que o Oscar foi para
mãos merecidas. Leto andava sumido das telas, dando
prioridade à sua carreira musical… com esta
premiação e com o Globo de Ouro (também vencido por
ele nesta categoria), ele prova que seu lugar é mesmo
na Sétima Arte. Foi sua primeira indicação.

*ACTRESS IN A SUPPORTING ROLE*
*MELHOR ATRIZ COADJUVANTE*

* Vencedora: Lupita Nyong’o, por 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão)

Também concorriam:

* Sally Hawkins, por Blue Jasmine
* Jennifer Lawrence, por American Hustle (Trapaça)
* Julia Roberts, por August: Osage County (Álbum de Família)
* June Squibb, por Nebraska

Daltopinião: a favorita era a nova queridinha de
Hollywood, Jennifer Lawrence (confesso que ainda não
consegui enxergar algum grande talento dramático
nela), que já havia vencido o Globo de Ouro, mas que
grata surpresa foi ver a queniana Lupita Nyong’o sair
vencedora! Seu trabalho em “12 ANOS DE ESCRAVIDÃO”
foi impecável, e fiquei muito feliz que tenha sido
reconhecido. Esta foi sua primeira indicação ao
Oscar.

*ANIMATED FEATURE FILM*
*LONGA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO*

* Vencedor: Frozen (Frozen – Uma Aventura Congelante), por Chris Buck, Jennifer Lee e Peter
Del Vecho

Também concorriam:

* The Croods (Os Croods), por Chris Sanders, Kirk DeMicco e Kristine Belson
* Despicable Me 2 (Meu Malvado Favorito 2), por Chris Renaud, Pierre Coffin e Chris Meledandri
* Ernest & Celestine, por Benjamin Renner e Didier Brunner
* The Wind Rises (Vidas ao Vento), por Hayao Miyazaki e Toshio Suzuki

Daltopinião: minha torcida era pela animação do
mestre Hayao Miyazaki (ainda mais que pode ter sido
sua última produção), mas aqui a vitória era certa
para o belo desenho da Disney, “FROZEN”, que já havia
vencido também o Globo de Ouro. Enquanto a Pixar já
não é mais a mesma, a Disney vem elevando a qualidade
de suas animações. Esta foi a segunda indicação de
Chris Buck, que já havia sido nomeado por “TÁ DANDO
ONDA” (2007), já Jennifer Lee e Peter Del Vecho
concorriam pela primeira vez.

*PRODUCTION DESIGN*
*DIREÇÃO DE ARTE & CENÁRIOS*

* Vencedor: The Great Gatsby (O Grande Gatsby), por Catherine Martin (Direção de Arte); Beverley Dunn (Cenários)

Também concorriam:

* American Hustle (Trapaça), por Judy Becker (Direção de Arte); Heather Loeffler (Cenários)
* Gravity (Gravidade), por Andy Nicholson (Direção de Arte); Rosie Goodwin e Joanne Woollard (Cenários)
* Her (Ela), por K.K. Barrett (Direção de Arte); Gene Serdena (Cenários)
* 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão), por Adam Stockhausen (Direção de Arte); Alice Baker (Cenários)

Daltopinião: aqui “O GRANDE GATSBY” era o grande
favorito, era muito difícil ele ser batido nesta
categoria e a lógica prevaleceu. Como uma produção
de Design sublime, a estatueta não poderia mesmo ter
ido para outro filme. Incluindo sua indicação nesteano para Figurino, esta foi a sexta nomeação de
Catherine Martin. Ela já havia sido indicada em 2008
por “AUSTRALIA” e em 2006 por “ROMEU + JULIETA”, além
de ter vencido em 2001 em Direção de Arte e também em
Figurino, por “MOULIN ROUGE”. Já Beverley Dunn
concorria pela primeira vez.

*CINEMATOGRAPHY*
*FOTOGRAFIA*

* Vencedor: Gravity (Gravidade), por Emmanuel Lubezki

Também concorriam:

* The Grandmaster (O Grande Mestre), por Philippe Le Sourd
* Inside Llewyn Davis Inside Llewyn Davis – Balada de Um Homem Comum), por Bruno Delbonnel
* Nebraska, por Phedon Papamichael
* Prisoners (Os Suspeitos), por Roger A. Deakins

Daltopinião: e a vitória coube novamente a um grande
favorito… “GRAVIDADE”, um belíssimo filme, teve uma
Fotografia absolutamente sublime, e não poderia ter
deixado de vencer. O enredo é excelente, mas nem
precisava… só a Fotografia deste filme já valeria o
ingresso. Emmanuel Lubezki finalmente levou sua
primeira estatueta para casa, depois de ter
concorrido sem sucesso por cinco vezes anteriormente
(em 2011, por “A ÁRVORE DA VIDA”, em 2006, por
“FILHOS DA ESPERANÇA”, em 2005, por “O NOVO MUNDO”,
em 1999, por “SLEEPY HOLLOW – A Lenda do Cavaleiro
sem Cabeça”, e em 1995, por “A PRINCESINHA”).

*COSTUME DESIGN*
*FIGURINO*

* Vencedor: The Great Gatsby (O Grande Gatsby), por Catherine Martin

Também concorriam:

* American Hustle (Trapaça), por Michael Wilkinson
* The Grandmaster (O Grande Mestre), por William Chang Suk Ping
* The Invisible Woman, por Michael O’Connor
* 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão), por Patricia Norris

Daltopinião: aqui, apesar da excelência do Figurino
de Patricia Norris para “12 ANOS DE ESCRAVIDÃO”, o
favorito era sem dúvida “O GRANDE GATSBY”, e a
previsão se fez verdadeira, com méritos. Catherine
Martin, não contente em vencer na categoria Direção
de Arte & Cenários, levou também na mesma noite o
Oscar de Figurino, repetindo o que já havia feito em
2001, com “MOULIN ROUGE”.

*FILM EDITING*
*MONTAGEM*

* Vencedor: Gravity (Gravidade), por Alfonso Cuarón and Mark Sanger

Também concorriam:

* American Hustle (Trapaça), por Jay Cassidy, Crispin Struthers e Alan Baumgarten * Captain Phillips (Capitão Phillips), por Christopher Rouse
* Dallas Buyers Club (Clube de Compras Dallas), por John Mac McMurphy e Martin Pensa
* 12 Years a Slave (12 Anos de Escravidão), por Joe Walker

Daltopinião: numa cerimônia bastante previsível,
esta categoria não foi diferente, e a Montagem
excepcional de “GRAVIDADE” saiu vencedora, apesar de
concorrentes com Edições de muita qualidade. Alfonso
Cuarón, que concorreu em três categorias na
cerimônia, não se contentou em levar “apenas” o
Oscar de Direção e levou também o de Montagem. Já
Mark Sanger havia sido nomeado pela primeira vez.

*MAKEUP AND HAIRSTYLING*
*MAQUIAGEM*

* Vencedor: Dallas Buyers Club (Clube de Compras Dallas), por Adruitha Lee e Robin Mathews

Também concorriam:

* Jackass Presents: Bad Grandpa (Jackass Apresenta: Vovô Sem Vergonha), por Stephen Prouty
* The Lone Ranger (O Cavaleiro Solitário), por Joel Harlow and Gloria Pasqua-Casny

Daltopínião: uma das maiores barbadas da noite, já
que “CLUBE DE COMPRAS DALLAS” quase concorria
sozinho, face sua superioridade aos demais indicados.
Vitória fácil e justa de Adruitha Lee e Robin
Mathews, que concorriam pela primeira vez.

*MUSIC (ORIGINAL SCORE)*
*TRILHA SONORA ORIGINAL*

* Vencedor: Gravity (Gravidade), por Steven Price

Também concorriam:

* The Book Thief (A Menina que Roubava Livros), por John Williams
* Her (Ela), por William Butler e Owen Pallett
* Philomena (Philomena), por Alexandre Desplat
* Saving Mr. Banks (Walt nos Bastidores de Mary Poppins), por Thomas Newman

Daltopinião: e mais uma vez o favorito saiu
vencedor… o trabalho de Steven Price em “GRAVIDADE”
foi de uma sensibilidade tamanha, que a estatueta
tinha que ser dele. Foi como compor uma ode no
silêncio do espaço. Esta foi a primeira vez que o
músico britânico concorreu, contrastando com o
maestro John Williams, que neste ano concorreu pela
49ª vez (5 vitórias)!

*MUSIC (ORIGINAL SONG)*
*CANÇÃO*

* Vencedor: “Let It Go” por FROZEN (Frozen: Uma Aventura Congelante), música e letra de Kristen Anderson-Lopez e Robert Lopez

Também concorriam:

* “Alone Yet Not Alone”, por ALONE YET NOT ALONE, música de Bruce Broughton; letra de Dennis Spiegel
* “Happy”, por DESPICABLE ME 2 (Meu Malvado Favorito 2), música e letra de Pharrell Williams
* “The Moon Song” por HER (Ela), música de Karen O; letra de Karen O e Spike Jonze
* “Ordinary Love” por MANDELA: LONG WALK TO FREEDOM (Mandela), música de Paul ” Bono” Hewson, Dave “The Edge” Evans, Adam Clayton e Larry Mullen; letra de Paul “Bono” Hewson

Daltopinião: Bono e os demais membros do U2 sonhavam
com um Oscar de Canção nesta sua segunda indicação,
mas não foi desta vez que eles conseguiram… a bela
“Let It Go”, de “FROZEN: Uma aventura Congelante”
era a favorita e acabou mesmo sendo a vencedora. Foi
a primeira indicação tanto de Kristen Anderson-Lopez
quanto de seu marido, Robert Lopez.

*VISUAL EFFECTS*
*EFEITOS VISUAIS*

* Vencedor: * Gravity (Gravidade), por Tim Webber, Chris Lawrence, Dave Shirk e Neil Corbould

Também concorriam:

* The Hobbit: The Desolation of Smaug (O Hobbit: A Desolação de Smaug), por Joe Letteri, Eric Saindon, David Clayton e Eric Reynolds
* Iron Man 3 (Homem de Ferro 3), por Christopher Townsend, Guy Williams, Erik Nash e Dan Sudick
* The Lone Ranger (O Cavaleiro Solitário), por Tim Alexander, Gary Brozenich, Edson Williams e John Frazier
* Star Trek Into Darkness (Além da Escuridão: Star Trek), por Roger Guyett, Patrick Tubach, Ben Grossmann e Burt Dalton

Daltopinião: grandes concorrentes, numa categoria
que avança em tecnologia a cada ano… mas a aventura
espacial de “GRAVIDADE” impressionou a todos também
pela sua qualidade técnica impecável, e o Oscar foi
para as mãos corretas. Tim Webber já havia concorrido
em 2008 por “BATMAN – O Cavaleiro das Trevas”, Chris
Lawrence e Dave Shirk concorriam pela primeira vez,
já Neil Corbould já havia vencido em 2000 por
“GLADIADOR”, além de já ter concorrido por “BRANCA DE
NEVE E O CAÇADOR” (2012), e “SUPERMAN: O Retorno”
(1996).

*SOUND EDITING*
*EDIÇÃO DE SOM*

* Vencedor: Gravity (Gravidade), por Glenn Freemantle

Também concorriam:

* All Is Lost (Até o Fim), por Steve Boeddeker e Richard Hymns
* Captain Phillips (Capitão Phillips), por Oliver Tarney
* The Hobbit: The Desolation of Smaug (O Hobbit: A Desolação de Smaug), por Brent Burge
* Lone Survivor (O Grande Herói), por Wylie Stateman

Daltopinião: Glenn Freemantle fez um trabalho
impecável de Edição de Som para o filme de Alfonso
Cuarón, e provou o poderio da produção nas categorias
técnicas. Esta foi a segunda indicação do britânico,
que já havia concorrido em 2008 por “QUEM QUER SER UM
MILIONÁRIO?”.

*SOUND MIXING*
*MIXAGEM DE SOM*

* Vencedor: Gravity (Gravidade), por Skip Lievsay, Niv Adiri, Christopher Benstead e Chris Munro

Também concorriam:

* Captain Phillips (Capitão Phillips), por Chris Burdon, Mark Taylor, Mike Prestwood Smith e Chris Munro
* The Hobbit: The Desolation of Smaug (O Hobbit: A Desolação de Smaug), por Christopher Boyes, Michael Hedges, Michael Semanick e Tony Johnson
* Inside Llewyn Davis (Inside Llewyn Davis – Balada de Um Homem Comum), por Skip Lievsay, Greg Orloff and Peter F. Kurland
* Lone Survivor (O Grande Herói), por Andy Koyama, Beau Borders e David Brownlow

Daltopinião: categoria técnica, vitória de
“GRAVIDADE”… e a rotina da noite continuou também
na Mixagem de Som. Skip Lievsay curiosamente
concorria duas vezes nesta categoria, tendo sido
indicado também por “INSIDE LLEWYN DAVIS: Balada de
Um Homem Comum”. Ele já havia concorrido também com a
Edição de Som e a Mixagem de Som por “BRAVURA
INDÔMITA” (2010), além da Edição e Mixagem de Som de
“ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ” (2007). Niv Adiri e
Christopher Benstead estavam em sua primeira
nomeação, já Chris Munro concorria nesta mesma
categoria também, mas por “CAPITÃO PHILLIPS”. Além
disso, ele já tem um Oscar, da extinta categoria
Melhor Som (que emglobava a Mixagem e a Edição),
vencido em 2001 por “FALCÃO NEGRO EM PERIGO”, além de
uma nomeação também por Melhor Som, por “A MÚMIA”
(1999).

*FOREIGN LANGUAGE FILM*
*FILME EM LÍNGUA ESTRANGEIRA*

* Vencedor: The Great Beauty (A Grande Beleza) – Itália

Também concorriam:

* The Broken Circle Breakdown (Alabama Monroe) – Bélgica
* The Hunt (A Caça) – Dinamarca
* The Missing Picture (L’Image Manquante) – Camboja
* Omar – Palestina

Daltopinião: vencedora também do Globo de Ouro, a
sublime produção italiana era a grande favorita nesta
categoria, e deu a lógica, com “A GRANDE BELEZA”
levando também o Oscar. Dotado de uma Fotografia
espetacular, este filme é uma verdadeiro poema
cinematográfico. Enquanto nós brasileiros ainda
sonhamos com o primeiro Oscar, esta foi a décima
vitória italiana, que já teve 28 películas indicadas
para Melhor Filme em Língua Estrangeira.

*DOCUMENTARY FEATURE*
*DOCUMENTÁRIO*

* Vencedor: 20 Feet from Stardom (A Um Passo do Estrelato), por Morgan Neville, Gil Friesen e Caitrin Rogers

Também concorriam:

* The Act of Killing (O Ato de Matar), por Joshua Oppenheimer e Signe Byrge Sørensen
* Cutie and the Boxer, por Zachary Heinzerling e Lydia Dean Pilcher
* Dirty Wars (Guerras Sujas), por Richard Rowley e Jeremy Scahill
* The Square, por Jehane Noujaim e Karim Amer

Daltopinião: meu favorito era “O ATO DE MATAR”, mas
a vitória ficou em boas mãos, com este peculiar
documentário sobre cantoras backing vocals que não
chegaram ao estrelato. Não se pode dizer que foi uma
premiação injusta para “A UM PASSO DO ESTRELATO”. Foi
a primeira nomeação para o trio Morgan Neville, Gil
Friesen e Caitrin Rogers

*DOCUMENTARY SHORT SUBJECT*
*DOCUMENTÁRIO – CURTA*

* Vencedor: The Lady in Number 6: Music Saved My Life, por Malcolm Clarke e Nicholas Reed

Também concorriam:

* CaveDigger, por Jeffrey Karoff
* Facing Fear, por Jason Cohen
* Karama Has No Walls, por Sara Ishaq
* Prison Terminal: The Last Days of Private Jack Hall, por Edgar Barens

Daltopinião: este belíssimo documentário tinha que
vencer! Ele fala da história da pianista theca Alice
Herz Sommer, de 109 anos, a mais antiga sobrevivente
do Holocausto, e de seu amor incondicional pela
música. Infelizmente ela não chegou a ver a vitória
desde documentário, pois havia falecido, já aos 110
anos, poucos dias antes da cerimônia. Esta foi a
terceira nomeação de Malcolm Clarke, que já havia
concorrido em 2002 por “PRISIONER OF PARADISE”
(Documentário), e vencido em 1998, por “YOU DON’T
HAVE TO DIE” (Documentário – Curta)

*SHORT FILM (ANIMATED)*
*CURTA DE ANIMAÇÃO*

* Vencedor: Mr. Hublot, por Laurent Witz e Alexandre
Espigares

Também concorriam:

* Feral, por Daniel Sousa e Dan Golden
* Get a Horse!, por Lauren MacMullan e Dorothy McKim
* Possessions, por Shuhei Morita
* Room on the Broom, por Max Lang e Jan Lachauer

Daltopinião: eu apostava minahs fichas no genial
curta da Disney, “GET A HORSE!”, mas não é que “MR.
HUBLOT” conseguiu bater o poderoso Mickey Mouse? A
excelente animação conta a história do excêntrico Sr.
Hublot, que tem o sossego de seu mundo cuidadosamente
arrumadinho interrompido pela chegada do robô Pet.
Esta foi a primeira nomeação para a dupla Laurent
Witz e Alexandre Espigares.

*SHORT FILM (LIVE ACTION)*
*CURTA-METRAGEM*

* Vencedor: Helium, por Anders Walter e Kim Magnusson

Também concorriam:

* Aquel No Era Yo (That Wasn’t Me), por Esteban Crespo
* Avant Que De Tout Perdre (Just Before Losing Everything), por Xavier Legrand e Alexandre Gavras
* Pitääkö Mun Kaikki Hoitaa? (Do I Have to Take Care of Everything?), por Selma Vilhunen e Kirsikka Saari
*The Voorman Problem, por Mark Gill e Baldwin Li

Daltopinião: o meu favorito era “JUST BEFORE LOSING
EVERYTHING”, mas é inegável que o tocante “HELIUM”
também merecia vencer. Ele conta a história de um
garoto às portas da morte, que encontra conforto nas
histórias de uma terra mágica chamada Helium,
contadas a ele pelo zelador do hospital. Esta foi a
primeira indicação de Anders Walter, e a quinta
indicação de Kim Magnusson, que já havia vencido em
1998 com “ELECTION NIGHT (VALGAFTEN)”, além de ter
concorrido em 2006 por “HELMER & SON”, em 1997 por
“WOLFGANG” e em 1996 por “ERNST & LYSET”

DALTO FIDENCIO
nils satis nisi optimum

http://www.facebook.com/dalto.fidencio
http://twitter.com/DaltoFidencio

Post Comment