Domingos dos Santos Poesia

Hora de poesia

 

Meu amor perguntou:
– Que horas são, meu amor?
Eu olhei o girassol,
espiei o canteiro das onze-horas
e confirmei na sombra do meridião,
era hora de eu ir, mas menti:
– Não tenho relógio, perdão.

Post Comment