Colunistas Literatura Marcelo Pirajá Sgassabia

Mutirão do Tabuleiro

 

O Governo Federal, dando continuidade ao Programa “Espaço do Cidadão”, promove em nível nacional o Primeiro Grande Mutirão do Tabuleiro.

Em entrevista coletiva, o Chefe da Casa Civil afirma: “Imagine o espaço que ocupam caixas e mais caixas de jogos de tabuleiro dentro de uma casa de padrão médio, sendo que cabem milhares de games em qualquer smartphone de camelódromo. E para baixar de graça. Está mais do que na hora de tirar esse entrave do dia a dia da família brasileira e dar espaço para uma vida mais confortável a todos”.

Ele continua: “O Governo entende que é direito inalienável do contribuinte chegar em casa depois do trabalho, tomar o seu banho, petiscar o seu torresmo com Cinzano e jogar uma partidinha de gamão antes de se enrolar nas cobertas. Mas temos que modernizar o nosso Código Civil. A lei que trata do jogo de tabuleiro em ambiente doméstico ainda é do tempo do Getúlio Vargas. Precisamos atualizar isso, dando aos brasileiros a prerrogativa de trocar os velhos tabuleiros de madeira pelas versões eletrônicas, muito mais atraentes. Nosso Brasil mudou e a legislação tem que acompanhar essas transformações.”

O Chefe da Casa Civil esclarece que os jogos deverão ser entregues nos postos de arrecadação de cada cidade. Todos serão incinerados, e a previsão é que sejam recolhidas em torno de 5 milhões de caixas de xadrez, damas, trilha, ludo, War, Detetive, resta-um, Banco Imobiliário e congêneres.

O Programa “Espaço do Cidadão” não para por aí. “Mês que vem será a vez dos livros – esses trastes acumuladores de ácaros e de traças. E no caso dos livros iremos premiar as pessoas que trouxerem para o mutirão maior quantidade dessas porcarias que ameaçam a saúde pública. Teremos dois critérios: o número de volumes arrecadados e o número de páginas por volume. Por exemplo, “Guerra e Paz”, “Dom Quixote”, “Os Miseráveis” e “A Montanha Mágica”, que têm milhares de páginas, encorpam muito mais os fogueirões que iremos fazer. Então é justo que quem os trouxer tenha direito uma recompensa maior do que aquele que entregar um ou outro livro fininho de literatura infantil ou do Paulo Coelho, compreende? Ainda estamos estudando que tipo de prêmio será esse, pois queremos incentivar a participação efetiva da coletividade. Em tempos de Kindle e e-readers chineses a menos de 150 reais, não tem cabimento o sujeito manter uma biblioteca em casa. Lembro mais uma vez que o nosso objetivo maior é dar ao cidadão o espaço que ele merece”.

A última, porém não menos importante etapa do Programa, será a eliminação de toda a papelada burocrática no relacionamento do cidadão com o governo nas diferentes esferas – municipal, estadual e federal. “Do pagamento de uma conta de água à declaração do Impostos de Renda, tudo poderá ser resolvido pelo celular”, promete o ministro.

© Direitos Reservados

Post Comment