Cultura Popular Joana D'Arc

Guia de como aproveitar melhor a Virada Cultural

Curador e produtor cultural destaca a importância da Virada Cultural e cria guia de como aproveitar melhor o evento

Bento Andreato fala sobre o evento cultural mais democrático do país e seleciona atrações que vão do centro a periferia, do rock a cultura popular

A Virada Cultural de São Paulo é um dos exemplos em que a ideia de tão boa que é, acaba absorvida pelo poder público. Começou, inspirada no festival francês “Noite Branca” que traz esse mesmo espírito para a capital francesa, Paris. O projeto foi gestado por um produtor cultural e encampado pela Prefeitura.Em São Paulo a primeira edição foi realizada em 2005 e, de lá para cá, virou referência nacional de ocupação artística. Como todo grande evento, tem inúmeros pontos de controvérsia, mas o que não se pode negar, muito menos ignorar, é que a Virada Cultural colocou a cidade de São Paulo em uma posição de destaque em relação ao fomento e consumo cultural.

“O que mais me agrada nesse projeto é a apropriação de espaços públicos pela população periférica da Cidade. A realidade da periferia de São Paulo e de muitas outras cidades brasileiras é a total ausência de equipamentos culturais e atividades locais. Poucas são as alternativas para os moradores da periferia quando o assunto é entretenimento cultural. A opção é frequentar um Shopping ou ir ao centro e pagar caro para assistir um show ou peça de teatro”, o curador e produtor cultural, Bento Andreato.

Bento é um entusiasta da democratização da cultura. Cresceu no meio sociocultural, é filho do famoso designer gráfico e ilustrador brasileiro, Elifas Andreato. Ao longo dos últimos 20 anos desenvolveu projetos em diversas plataformas – impressos, exposições, web e audiovisual – ocupando a posição de diretor executivo e captador de recursos. Com destaque para os projetos: Série de fascículos “História do Samba” e “MPB Compositores” para a Editora Globo e Almanaque Brasil de Cultura Popular. E já dirigiu shows de artistas como, Rappin Hood, Yvison Pessoa, Martinho da Vila, Thobias da Vai Vai, Germano Mathias, Oswaldinho da Cuíca, Salgadinho, entre outros.

“A Virada é uma conquista do cidadão de São Paulo, independente do governante que estiver a frente da gestão da prefeitura devemos como cidadãos e entusiastas da arte e da cultura zelar por essa conquista. Garantir o acesso a Virada é garantir um pouco mais de arte na vida das pessoas”.O evento tem por essência oferecer uma vasta programação gratuita ao cidadão, de colocar o povo na rua para curtir cultura o fim de semana todo, nos espaços mais diferentes da cidade. A Virada oferece uma vasta programação nas ruas, centros culturais, casas de culturas, CEUs, parques, praças, pontos turísticos, equipamentos culturais das mais diferentes regiões da nossa querida metrópole.

Com uma programação extensa de atividades na Virada Cultural, não dá tempo de aproveitar todas as atrações, por isso, é comum surgir o dilema de ter que escolher algumas coisas e deixar de fora outras.  Como amante da cultura e da Virada, Bento Andreato pesquisou a programação e fez uma seleção para aqueles que querem curtir o evento, que vai do centro a periferia, do rock a cultura popular. Mas faz questão de deixar registrado que são apenas sugestões pessoais, e que isso não quer dizer que uma atração é melhor que a outra. Confira a programação selecionada por ele:

 

DIA 20 – SÁBADO

ESQUINA IPIRANGA x SÃO JOAO – ESQUINA DO SAMBA            

18h – Rita Braga – Homenagem a 120 de Pixiguinha

CENTRO CULTURAL PALHAÇO CAREQUINHA    

18h PAGODE DA 27

CEU PARQUE VEREDAS

20h Ivo Meireles

CEU AZUL DA COR DO MAR               

20h Rappin’ Hood

TEATRO FLÁVIO IMPÉRIO  

21h Nelson Sargento e Samba do Bule

XAVIER x 7 DE ABRIL – CULTURA POPULAR                        

22h30    Dinho Nascimento e Orquestra de Berimbau do Morro do Querosene

DIA 21 – DOMINGO

BOULEVARD SÃO JOÃO – TRIBUTOS

09h – Filipe Catto canta Cassia Eller

ESQUINA IPIRANGA x SÃO JOAO – ESQUINA DO SAMBA            

03h30 – Samba da Vela

11h30  – Verônica Ferriani

REPÚBLICA- SOUL FUNK             

05h – Berimbrown

17h  – Nelson Triunfo e Funk&Cia

PRAÇA DO PATRIARCA – FORRÓ              

00h  – ANASTÁCIA 63 ANOS DE FORRÓ PÉ DE SERRA

PAISSANDU – LONA CIRCO        

13h  – O Show da Palhaça Rubra

SÃO BENTO – HIP HOP ANTIGOS

04h – Dj Hum

24 DE MAIO – HIP HOP

18h – Thaíde

PRAÇA DOM JOSÉ GASPAR – INSTRUMENTAL  

12h – Amilton Godoy e Léa Freire – Homenagem aos compositores Brasileiros

THEATRO MUNICIPAL  

15h – Sertanejo de Raiz – Orquestra Experimental e Ivan Vilella

FEIRA DE LIVRO

15h  – Feira de Distribuição de Livros – Adote um Livro (Praça do Patriarca)

CHÁCARA DO JOCKEY  

PALCO 1 18h – Orquestra Brasileira de Música Jamaicana (OBMJ) convida Nando Reis

PARQUE DO CARMO    

15h – Wilson das Neves e Germano Mathias

PRAÇA DO CAMPO LIMPO         

12h – Martnalia

Centro Cultural Cidade Tiradentes        

18h- Fabiana Cozza

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO

18h – Siba

Sobre Bento Andreato

Curador e produtor cultural.

Pós-graduado em design estratégico pelo Instituto Europeu de Design e sócio da Andreato Comunicação e Cultura.

Filho do famoso designer gráfico e ilustrador brasileiro, Elifas Andreato.

Apresentador do programa Sala de Recepção

Ao longo dos últimos 20 anos desenvolveu projetos em diversas plataformas – impressos, exposições, web e audiovisual – ocupando a posição de diretor executivo e captador de recursos. Com destaque para os projetos: Série de fascículos História do Samba e MPB Compositores para a Editora Globo; e Almanaque Brasil de Cultura Popular.

Realizador de mais de 30 projetos gráficos para CDs de artistas como: Zeca Pagodinho, Paulinho da Viola, Dona Yvone Lara, Martinho da Vila, Tom Zé, Zeca Baleiro, Beth Carvalho.

Colunista da BandNews FM, em 2012, com o programa Brasil Criativo.

Diretor artístico de shows dos artistas Rappin Hood, Yvison Pessoa, Martinho da Vila, Tunico da Vila, Thobias da Vai Vai, Germano Mathias, Oswaldinho da Cuíca, Salgadinho.

Foi consultor no álbum de samba do cantor Criolo.

Post Comment