Ó minha África misteriosa, Meu amparo de encanto, Minha mãe Irrigada de marcas da escravidão! Eis aqui seu filho Que…

Somos escravos, sim. Escravos da África, da Ásia e da Europa, Que bebemos aos corvos de sangue Miscigenado, Que escorre…

Marrabenta, Cantigas do meu povo, Repousado no silêncio da outrora; Dos tempos, dos mukulunguanas Amolecidas das Mamanas, Arrastado pelo vento…

Saudade das esquinas, das lérias princesas, Puras e virgens dos olhos de marfim. Das noites caladas, silenciosas, Guardavam-se (embrulhadas em…

Lembro-me da sua ignorância, suor escorrendo Pelas valas do seu corpo Quando, na ausência das maquinas, Meus ombros eram como…

Sou proveniente dos restos das Lágrimas. Sou vestígio de capulana, Que com os chicotes Foi desperdiçada. Com azagaia meu corpo…

Por Ernesto Moamba   Teu corpo negro África, Revestido de missangas de ouro E prata, é como ferrujo da linha…

Por Ernesto Moamba   Tu já dormiste mais que o suficiente. Tu dormes como se fosse um defunto Alastrado com…

  Por Ernesto Moamba Teu corpo Está ressequido de rugas E melanina.   É único (castanho e negra) Violentado nas…

Por Ernesto Moamba   Teus olhos castanhos São os mais avermelhados, Como as manhãs sangrentas (que tonturam babalaza, de ntontonto…